info
Obrigado por visitar o nosso site! Partilhe com os seus amigos.

Encontro de Crismandos, Pais e Padrinhos

A reunião de pais, padrinhos e crismandos foi um momento de acolhimento, alegria, oração, convivência e reflexão. Aconteceu no dia 3 de Junho, na Igreja do Cardal. Mostrou-se que a família desempenha um papel fundamental na transmissão da fé e que há necessidade da família encontrar caminhos que levem a Jesus. Agradecemos a presença de todos os pais, padrinhos e crismandos neste encontro que faz parte da caminhada de preparação dos jovens que desejam receber o sacramento da Crisma, na nossa Paróquia.
VER MAIS NO FACEBOOK

Testemunhos do Voluntariado do 10º Ano

Os jovens da Paróquia de Pombal que este ano recebem o Sacramento da Confirmação continuam a sua caminhada final até ao grande dia. Por sugestão do nosso pároco, há dois anos que o habitual retiro foi complementado com acções de voluntariado em dois estabelecimentos de saúde: Centro de Apoio a Deficientes João Paulo II e Casa de Saúde Rainha Santa Isabel (Irmãs Hospitaleiras) de Condeixa-a-Nova. Os primeiros voluntários já viveram a sua experiência e contaram-nos através de testemunhos como se sentiram e como viveram os três dias na companhia dos utentes das referidas instituições. O Centro de Apoio a Deficientes Profundos João Paulo II, em Fátima, tem já uma vasta experiência no apoio a pessoas portadoras de deficiência. Criado em 1989, tem capacidade para acolher 192 residentes. Os residentes têm idades entre os três e 65 anos. No âmbito da saúde, o centro dispõe de um serviço de reabilitação, cujo trabalho incide sobre aspetos como a funcionalidade, a autonomia, a participação, as capacidades e o desempenho dos residentes. A Bruna e a Rita de Pombal foram duas jovens que escolheram esta instituição para fazerem o seu voluntariado. A sua estadia ficou marcada pelas novas amizades que fizeram com alguns utentes. Empenhadas nas tarefas que lhes foram incumbidas (fazer camas, servir o almoço e arrumar a loiça), estas jovens aproveitavam os momentos livres para conversar e passear os doentes pelos corredores da instituição. O tempo não permitiu saídas à rua. O carinho e amor que sentiram dos utentes foi aquilo que as marcou mais. Questionadas sobre as situações que as impressionaram, ambas responderam que ficaram comovidas com a idade: “Eles pareciam ter menos idade que a real”. A outra instituição que acolhe os jovens de Pombal é a Casa de Saúde Rainha Santa Isabel, em Condeixa-a-Nova. Fundada em 1959, é um dos doze estabelecimentos de saúde geridos pelo Instituto das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus. A instituição tem por missão prestar cuidados diferenciados e humanizados em saúde, sobretudo em saúde mental e psiquiatria, com respeito pela individualidade e sensibilidade do utente, numa visão humanista e integral da pessoa. A Diana foi uma das jovens que escolheu esta instituição. A Diana acordava todos os dias às 07h30 e fazia as suas orações em comunidade. O trabalho destes voluntários incidia na cozinha. Apenas auxiliavam as cozinheiras. Durante o período da tarde, tinham algum contacto com os utentes. O período nocturno era dedicado à oração e ao lazer. Tal como aconteceu com as amigas, Diana também sentiu que estava perante pessoas muito meigas e muito amorosas que apenas são um pouco diferentes e dependentes. “Mas, são pessoas que sentem e amam o seu semelhante como nós.”





“O voluntariado para mim, é uma forma de me tornar uma pessoa melhor. O voluntariado também é, em minha opinião, uma das características necessárias para um verdadeiro cristão, afirmar ser um bom cristão e não ajudar os outros não existe.”
Ricardo Marques

“Como cidadãos que somos, temos o dever de ajudar quem mais precisa. Para mim, fazer voluntariado é mostrar gratidão pelo que tenho e posso deixar de ter. Sinto que posso salvar vidas e é a realidade, pelo investimento que faço no voluntariado em prol da comunidade nas campanhas em que participo. A população está iludida: não precisamos dar muito; com pouco se faz muito.”
Leonor França

“Para mim, voluntariado é dedicar o nosso tempo para a felicidade dos outros. Na primeira vez que fiz voluntariado, confesso que fiquei um pouco nervosa: Mas, depois de ter feito, apercebi-me de quão emocionante é. A meu ver, o voluntariado é muito importante. Todos devíamos experimentar, nem que fosse só uma vez.”
Ana Gonçalves

“O voluntariado não é só ajudar as pessoas: é uma forma de nos sentirmos bem connosco próprios. Todas as experiências de voluntariado em que participei, sendo todas diferentes, todas tiveram um impacto positivo em mim. O voluntariado faz-nos ver o mundo com outros olhos. Os jovens que fazem voluntariado, aprendem a ser mais responsáveis.”
Adriana Vieira

“O voluntariado ensina-nos que devemos ser uns para os outros. Como comunidade unida, devemos contribuir para o bem de todos. Cada comunidade deve ser como um corpo que precisa de todas as partes para funcionar bem. Sendo voluntários, ajudamo-nos mutuamente.”
Margarida Patusco

“O voluntariado é uma experiência que recomendo, não só a jovens mas também a adultos. Gostaria muito de repetir cada momento que passei a ajudar os outros. Já participei em várias experiências de voluntariado e todas, de uma forma ou de outra, me tocaram muito.”
Diana Lourenço

“A minha experiência como voluntário tem sido bastante enriquecedora. Considero que, com todos os voluntariados que fiz, me tornei uma pessoa mais aberta, feliz, disposta a partilhar e consciente da realidade em que vivem muitas pessoas.”
Tiago Santos

“Para mim, ser voluntária é muito importante: dedicar o nosso tempo a ajudar pessoas que mais precisam. Devemos participar em cada voluntariado de livre iniciativa, aceitar cada desafio. Ficamos com outro ponto de vista de como é a vida e de como a saber aproveitar melhor. A palestra sobre voluntariado foi bastante interessante e gostei.”
Lúcia Domingues

Jovens do 10º ano no Mercado de Natal

Os jovens que este ano completam a sua preparação para receberem o Sacramento do Crisma participaram no Mercado de Natal, organizado pelo Município de Pombal. Desenvolveram actividades de angariação de fundos, para as acções propostas pela Paróquia, nomeadamente o retiro de preparação para o Crisma. Um dos grupos de jovens aproveitou a ocasião para evangelizar, com pequenas frases retiradas do catecismo do 10º ano. “Senhor, Tu és a nossa esperança, o rochedo que sustenta a nossa vida” e “Pai, guarda no Teu amor todos aqueles que nos comunicam Jesus” foram algumas das muitas frases transmitidas pelos jovens catequizandos.

Catequese Solidária

Os catequizandos da Paróquia de Pombal estão a promover uma recolha de bens alimentares, para oferecer ao Convento do Louriçal. Neste Convento, do concelho de Pombal, reside um grupo de religiosas, da Ordem de Santa Clara, que vive com algumas limitações financeiras, uma situação que se deve, sobretudo, às despesas de manutenção e restauro do edifício onde residem. Sensíveis às necessidades das Clarissas, alguns catequistas da Paróquia promoveram, no final do ano passado, uma campanha de angariação de alguns bens. A iniciativa foi bem acolhida e o mesmo grupo de catequistas lançou um novo desafio aos catequizandos de Pombal, no sentido de ofertar bens de primeira necessidade à comunidade do Convento de Louriçal.

Catequese no Mercado de Natal

Os catequistas e catequizandos do 10º ano da Paróquia de Pombal convidam a comunidade a visitar o Mercado de Natal e fazer uma breve visita à banca da catequese. Nesta banca, poderá encontrar alguns doces e salgados caseiros, oferecidos pelos pais dos catequizandos. A receita da venda dos produtos expostos reverte a favor das actividades que os catequizandos irão desenvolver durante o seu último ano de preparação para receberem o Sacramento do Crisma. Por isso, ajude os catequistas e catequizandos e contribua, passando pela banca da catequese, durante este e o próximo fim-de-semana. Os jovens esperam por si.

Ser voluntário além-fronteiras

A Paróquia de Pombal, em colaboração com os catequistas do 3º Sector, promoveu, na semana passada, uma palestra sobre o voluntariado. O serão, que acabou por ser um momento de conversa entre os oradores convidados e a assistência, era dirigido aos jovens que estão a preparar-se para receber o Espírito Santo. A palestra dirigia-se aos jovens que estão a frequentar os três últimos anos da sua caminhada da Catequese, rumo ao Sacramento do Crisma. Depois do sucesso do evento do ano passado, a Equipa Coordenadora do 3º Sector e o nosso Pároco decidiram repetir a dose e proporcionar uma noite diferente com quatro pessoas que já fizeram voluntariado junto dos refugiados, em Itália, e nas comunidades mais pobres do Brasil. Os professores universitários João e Jacinta Paiva (casados) foram os primeiros intervenientes. Residentes em Coimbra, os docentes partilharam as suas motivações pessoais e o que mudou nas suas vidas, após uma curta passagem pelo campo de refugiados de Rabusa, na Sicília, Itália. Sensibilizados pelos sucessivos apelos do Papa Francisco, os voluntários viveram e presenciaram situações difíceis de transmitir em palavras – histórias dramáticas de luta pela sobrevivência. Mas, a chegada à Europa nem sempre é sinónimo de salvação para os refugiados. João e Jacinta confessaram que ouviram relatos de histórias de pessoas que são escravizadas, quer no trabalho laboral, quer através de redes de prostituição; muitas crianças desaparecem misteriosamente, entre muitas outras situações. Em Itália, os nossos voluntários eram responsáveis pela ocupação do dia-a-dia de um grupo de cerca de 40 refugiados. A aproximação não foi fácil e encontraram muitas resistências que foram sendo vencidas com o tempo. No regresso a Portugal, João e Jacinta perceberam que não conseguiram mudar o mundo, nem a guerra e muito menos a fome que afecta muitos países de origem daquelas pessoas. Mas, a sua forma de ver o outro mudou… e a vida ganhou outro sentido. E porque são cristãos, os dois professores universitários procuraram mostrar aos receptores das suas mensagens (maioria muçulmanos) que o “cristão é aquele que faz tudo pelo irmão, como outros voluntários, mas faz de um modo completamente diferente, no respeito pela pessoa humana e pelo meio que o rodeia”. “Ser cristão é ser alguém que respeita e acolhe, mas pode sugerir um caminho melhor para os outros”, acrescentaram. Sobre o tema em si do voluntariado, João Paiva procurou sempre, nas suas palavras, provocar a assistência para aquilo que é realmente o trabalho de um voluntário. Não deve ser encarado como algo que está na moda ou que vai engrandecer o currículo pessoal, mas algo que vem das suas entranhas e do seu coração. A palestra encerrou com os testemunhos de duas jovens do concelho de Pombal, Rute e a Margarida, que fizeram voluntariado no Brasil. Durante um mês viveram em Chapadinha, no Estado do Maranhão, junto das comunidades mais pobres daquela zona. De uma forma diferente do casal, que passou um mês junto dos refugiados, estas jovens levavam na sua bagagem a missão da evangelização. Porém, e se à primeira vista a missão não era difícil, depressa encontraram muitos imprevistos, alguns impensáveis, como a falta de água para tomar, por exemplo, um duche. A localidade não dispõe de serviço de água e saneamento e os rios são propriedade dos grandes fazendeiros que apenas permitem o acesso por “especial favor”. As estradas são feitas de pequenos carreiros e a eletricidade não existe. Com um panorama destes, os voluntários foram obrigados a improvisar muitas vezes e adaptarem-se às realidades sociais e económicas locais. No regresso a Portugal, a Rute e a Margarida trouxeram o sorriso contagiante daquele povo e alguns momentos inesquecíveis, como as festas que as comunidades promoviam sempre que chegava a Cruz à Capela da aldeia. E tal como aconteceu com o João e a Jacinta Paiva, também a Rute e a Margarida regressaram com uma visão diferente do mundo e, ainda hoje, agradecem a Deus, sem cessar, por terem nascido num país onde é possível viver com dignidade.

Balanço do 3º Sector da Catequese

Passando em retrospetiva o que foi o ano de catequese iniciado em 4 de Outubro de 2015 e terminado no dia 11 de Junho de 2016, fazendo um balanço, ainda que um pouco incompleto, porque ainda não estão terminadas todas as atividades deste mesmo ano, poder-se-á dizer que se pauta por um balanço positivo. Este balanço contempla não só as atividades em que todos os adolescentes estiveram integrados, participando de uma forma mais ativa ou não, mas e também a forma, a disponibilidade, integração, participação e empenho de todos os catequistas deste Sector. De salientar, em primeiro lugar, todas as actividades que foram realizadas pelos crismandos, ao longo de todos estes três períodos, que culminaram com o Crisma, no dia 15 de Maio de 2016. Estas actividades, de uma forma ou de outra, requereram a participação, quer direta quer indirectamente, de todos os catequistas do 10º ano e tinham, como fim maior, tentar proporcionar o encontro entre estes jovens e Deus. Fizeram-no de alma e coração, pelo que o objectivo maior terá sido conseguido. Relativamente aos 7º e 8º anos, houve não só a preocupação de fazer mais e melhor, mas e também a preocupação de aos poucos integrarem os seus grupos de adolescentes no voluntariado em prol da comunidade em que estão integrados. Também os pais e encarregados de educação de cada ano se mostraram interessados em participar em algumas das atividades propostas, preocupados ainda em apoiar e ajudar no que necessário se torne, para um bom fluir de toda a catequese. No entanto, não queremos fechar este balanço sem deixar de lembrar que, acima de tudo, devemos trabalhar todos em conjunto, integrando cada vez mais os pais, bem como a comunidade que integramos, para que os nossos adolescentes e jovens não se sintam uma “ilha”, numa sociedade cada vez mais descaracterizada. Aguardamos, ainda, com alguma expectativa, a realização da última atividade – a Festa do Compromisso dos catequizandos do 9º ano – que será nos dias 1 e 2 de Julho, na sua Peregrinação a pé a Fátima, como já é do conhecimento geral, com a certeza de que, com os olhos postos em Deus, no Seu infinito amor, e em Maria Santíssima, nossa Mãe, será um momento maravilhoso e profundo de oração, partilha e convívio fraterno entre todos.

Helena Maximino e João Simões

Catequizandos do 9º ano fazem Peregrinação a Fátima

Os catequizandos a frequentar o 9º Ano de Catequese, na Paróquia de Pombal, vão realizar, no próximo dia 1 e 2 de Julho, uma Peregrinação a Fátima. A peregrinação insere-se na Festa do Compromisso e pretende ser um momento de convívio entre os jovens. Além disso, assumirão, uma vez mais, o seu compromisso de fé em Jesus Cristo. A caminhada até ao Santuário de Fátima está a ser organizada pelos catequistas e coordenadores do 3º Sector e é aberta a toda a comunidade paroquial que manifeste a vontade de acompanhar os jovens nesta jornada de fé. A peregrinação tem início no dia 1 de Julho, às 22h00, com o envio, na Igreja do Cardal. Depois de participarem numa pequena celebração presidida pelo nosso pároco e rezar o primeiro mistério do terço, os peregrinos partem em direcção a Fátima. Antes de saírem, deverão adquirir uma vela que irão acender sempre que rezarem um mistério do terço. O percurso será efectuado durante a noite e contempla quatro paragens para os mistérios do terço (sendo o primeiro rezado ainda em Pombal). A chegada está prevista para as 09h00 do dia seguinte. A peregrinação termina com a participação na Eucaristia das 11h00, no Santuário de Fátima, na Igreja da Santíssima Trindade. A organização convida todos os pais dos jovens participantes a juntarem-se aos filhos, na manhã de sábado, dia 2 de Julho, com o pequeno-almoço, para que esta refeição seja feita em família. Estão também convidados a participar na Eucaristia. A preparação desta peregrinação envolve várias entidades particulares e privadas, estando assegurado o apoio de socorristas, que irão numa ambulância. Neste momento, já estão garantidas t-shirts para os jovens (oferecidas por um clube de serviços da cidade), um seguro oferecido pela Paróquia e estão previstas bebidas e alguns alimentos. A Peregrinação a Fátima é uma recuperação de uma tradição antiga da Paróquia, que coincidia com a Festa do Compromisso. Depois de uma breve paragem, os catequistas e o Pároco decidiram recuperar a tradição, que deverá contar com um grande número de participantes.

Catequizandos voluntários no Banco Alimentar :: 28 e 29 de Maio de 2016

Um pouco por toda a cidade, em todos os supermercados, à semelhança do que aconteceu no resto do país, decorreu mais uma campanha do Banco Alimentar Contra a Fome. O ideal seria que todas estas campanhas não fossem necessárias. No entanto e contrariamente ao que se possa pensar ou dizer, elas continuam a ser necessárias e a fazerem todo o sentido. Mais uma vez, Pombal e os seus voluntários (praticamente de todas as idades e uma grande maioria nossos catequizandos), não quiseram ficar indiferentes às necessidades alheias, arregaçando as mangas, e, à porta de cada supermercado, deram o seu melhor, para que esta campanha fosse pautada pelo sucesso das anteriores. E assim, conjuntamente com todos os anónimos que quiseram e puderam contribuir mais uma vez, todos juntos conseguiram levar a bom porto mais uma campanha do Banco Alimentar, conseguindo atingir mais ou menos 5.900 quilos de alimentos. E realmente com pouco se faz muito. Pouco a pouco e com a ajuda de todos, todos os dias se pode fazer a diferença para alguém.

Helena Maximino

Maio… Mês de Maria

Terminou mais um mês de Maio, um mês de Maio muito recheado na nossa paróquia de Pombal. Graças a Deus! Neste mês de Maio, tivemos a nossa Mãe mais perto de todos nós, na nossa Igreja do Cardal. E alguns dos catequistas do 3º Sector, com os seus grupos de catequese, aproveitaram, mais uma vez, este mês dedicado a Nossa Senhora de Fátima, para de uma forma simples, mas carinhosa e contemplativa, todos em conjunto, depositarem em suas mãos todas as suas ansiedades, alegrias, sofrimentos, dúvidas e incertezas, para que ela, como mãe, amparo e conselheira, nos continue a acompanhar na nossa caminhada e, especialmente, mostrando-nos como todos os dias podemos melhorar um pouco mais como seres humanos, como pais e mães e como catequistas. Aos catequistas, Ana Isabel Jorge e Ana Catarina Leal, Graciosa Gonçalves, Márcia, João Simões, Paula Marques, Conceição Gaspar, que a graça de Deus e o seu amor os continue a ajudar e a iluminar todos os dias das suas vida, bem como as suas famílias.

Helena Maximino

Jovens e adultos recebem Sacramento da Confirmação

O nosso bispo, D. Virgílio Antunes, presidiu, no passado dia 15 de Maio, à celebração do Sacramento da Confirmação de 103 jovens e 23 adultos da nossa Paróquia de Pombal (mais três da paróquia de Almagreira). Neste sacramento, também conhecido por Crisma, o Bispo invoca e comunica o Espírito Santo, que irá imprimir na nossa alma o carácter de soldados de Cristo e nos faz cristãos perfeitos. E foram esses votos que D. Virgílio deixou em Pombal: que os crismados fossem cristãos activos. Mas, para percebermos melhor a celebração e a importância da mesma, o bispo começou por fazer algumas questões (às quais deu a resposta). “O que é ser cristão?” Para esta questão, a resposta era simples: ser de cristo. Mas, não basta. Segundo o nosso pastor, é preciso imprimir alegria esperança, amor em tudo o que fazemos, à luz de Cristo, e os valores que defendemos devem ser os da Igreja. E o nosso bispo abordou a questão dos valores, porque, actualmente, vivemos numa sociedade cujos valores estão longe dos que a Igreja defende. A vida dos seres humanos é questionada diariamente e, actualmente, também se defende muito a ideologia do género... E, neste momento, começamos a assistir a outras ideologias que defendem intransigentemente os direitos dos animais, quando os direitos dos homens são tantas vezes esquecidos. “Não é fácil ser de Cristo, amar, viver e encarnar o modo de Cristo”, admitiu o Bispo, olhando para a sociedade que o rodeia e bombardeia os jovens e adultos com ideologias contrárias às defendidas pelo nosso Salvador. “Não é fácil mas devemos ter a coragem de ser diferentes”, concluiu.

Jovens rezam o Terço no Mês de Maio

Alguns grupos da Catequese do 3º Sector associaram-se à oração do Terço, durante o mês de Maio, mês de Maria. Os jovens aceitaram o desafio dos coordenadores do Sector e organizaram-se no sentido de fazerem companhia a Maria (com a sua imagem colocada junto ao Altar, na Igreja do Cardal), durante este mês. Maio está associado a Nossa Senhora, em virtude das aparições de Fátima e também ao facto de se celebrar, no primeiro domingo do mês, o Dia da Mãe. Mas o hábito de rezar o Terço a Nossa Senhora é mais antigo que as aparições. Reza a história que este rito teve origem no séc. XIII, em França. Nesta altura, os cristãos e os hereges travam lutas permanentes. Cansado da devastação que a guerra estava a provocar, S. Domingos, movido por inspiração divina, entra numa grande e densa floresta, próxima de Toulouse. Ali passa três dias e três noites em contínua oração e penitência, não cessando de gemer, chorar e de se flagelar, implorando a Deus que tivesse pena de sua própria glória calcada aos pés dos hereges. Em consequência de tamanho ardor e esforço, acaba por cair de cansaço, até que Maria Santíssima lhe aparece e trava uma conversa com ele, explicando-lhe que a sua devoção salvou o povo da heresia. Quando regressou, S. Domingos contou o que se tinha passado e procurou estimular uma nova devoção ao Santo Rosário e torná-la conhecida. A mensagem passou e a comunidade local de Toulouse admitiu os seus erros e mudou os seus costumes. Em Portugal, desde as aparições de Fátima e por recomendação de Nossa Senhora, que pediu aos pastorinhos para rezar o terço todos os dias, este hábito está enraizado no nosso quotidiano e, em Pombal, é possível rezar o terço todos os dias do ano, em comunidade, na Igreja do Cardal.

Encíclica Verde do Papa inspira Catequese :: 9º ano da Catequese

Um grupo da Catequese do 9º Ano aproveitou os primeiros dias de sol e bom tempo para passear pela natureza e perceber melhor a mensagem do Papa Francisco, na encíclica “Laudato Si” (Louvado Sejas). A Encíclica Verde, como ficou conhecida, é um texto específico, dirigido a todas as pessoas que habitam o planeta, que chama a atenção para a necessidade de preservar a Criação Divina. A Encíclica aborda, entre outras temáticas, o tema da poluição e como os poluentes atmosféricos “provocam milhões de mortes prematuras”, em particular entre os mais pobres. “A terra, nossa casa, parece transformar-se cada vez mais num imenso depósito de lixo”. Depois de ouvirem atentamente as explicações do catequista sobre a mensagem do Papa Francisco e a necessidade de o ajudarem nesta luta, que a todos diz respeito, os jovens caminharam pela mata do Castelo, com o objectivo de apreciar a natureza. O espaço verde visitado, como é património do Município, está cuidado e não se encontra lixo no chão, mas os jovens admitiram que conhecem muitas matas que são autênticas lixeiras. No final da catequese, alguns dos catequizandos admitiram que olharam para a natureza com mais atenção e gostaram do que viram. “A paisagem é inspiradora e bonita como Deus”, concluíram.

Casal Fernão João acolheu Festa das Bem-Aventuranças :: 9 de Abril de 2016


No passado dia 9 de abril, a catequese celebrou a Festa das Bem-Aventuranças. O encontro decorreu nos Vicentes. Durante toda a tarde, os grupos de catequese da cidade, Arroteia, Casal Fernão João, Santorum e Vicentes juntaram-se na Capela do Casal Fernão João, para meditarem, conversarem e compreenderem melhor as Bem Aventuranças. Ao cair da tarde e após alguns momentos de partilha de conclusões, reunimo-nos todos em celebração. O estagiário Rodolfo apresentou as Bem-Aventuranças em modo de desafio, para que todos nós as coloquemos em prática e não as deixemos apenas na pagela, que o mesmo entregou, no final, aos vários catequizandos, mas, sim, as guardemos no nosso coração, tornando-as, todos os dias, uma realidade. As Bem-aventuranças são a forma perfeita que Jesus encontrou para falar do que temos de ser e de fazer, para partilhar com Ele a alegria eterna no Reino dos Céus. Bem-aventurados os mansos...; os puros de coração; os perseguidos por amor da justiça... A nossa vida é um convite permanente a amar a Deus e aos irmãos, de coração sincero e generoso, tornando-nos verdadeiros discípulos de Jesus. Não esqueçamos que aqueles que, durante a sua vida, seguirem o código da Vida de Jesus, anunciado na montanha, esses podem ter a certeza de que começarão já a saborear a felicidade e a gozarão depois, sem fim, na plenitude do Reino. Depois de todos estes momentos, em que recebemos os ensinamentos maravilhosos que Cristo nos dá, juntámo-nos todos, para um lanche partilhado, onde aproveitamos para cantar os parabéns à catequista Anabela por mais um aniversário.

João Simões

Via Sacra no Cardal :: 13 de Março de 2016


À semelhança do que se passou nos dos dois domingos anteriores, também neste domingo, dia 13 de Março, mais um grupo de catequizandos da nossa paróquia participou na oração da Via-Sacra, na Igreja do Cardal. A todos os catequizandos, às catequistas Ana Isabel Jorge e Ana Catarina Leal, obrigado por terem aceite mais este desafio. Mais uma vez, reiteramos o convite a todos os catequistas do 3º Sector: vamos celebrar o Mês de Maria (Maio) de forma diferente, com os nossos adolescentes.

Helena Maximino
<