info
Obrigado por visitar o nosso site! Partilhe com os seus amigos.

Festa das Alminhas nos Vicentes

A comunidade dos Vicentes celebrou, no primeiro domingo deste mês de Fevereiro, a Festa da Senhora da Luz ou Festa das Alminhas (como é popularmente conhecida). Esta festa é uma das mais antigas da aldeia, mas foi interrompida durante muitos anos. Há três anos, foi retomada por um mordomo e todos os anos surge sempre uma pessoa que se disponibiliza para manter a tradição viva. A edição deste ano consistiu num encontro, junto às alminhas dos Vicentes. Aqui rezaram o terço a Nossa Senhora de Fátima. A celebração foi orientada pelo diácono Rodolfo Albuquerque. Depois da oração, a festa continuou com a distribuição das tradicionais merendeiras, oferecidas pelo mordomo. Mais tarde, chegaram três acordeonistas, que animaram o arraial onde foram servidas febras assadas a todos os presentes.

Festa das Alminhas nos Vicentes

No dia 25 de Dezembro, a Capela dos Vicentes voltou a estar em festa, com a tradicional Festa das Alminhas. A Eucaristia foi presidida pelo Pe. Paulo Simões. A homilia do sacerdote incidiu na importância da solenidade do Natal para todos os católicos e a preocupação que devemos ter em deixar nascer Jesus no nosso coração. O dia de festa terminou com um lanche oferecido pelo mordomo a toda a comunidade local. Na ementa, constava porco no espeto e as tradicionais merendeiras.

Capela dos Vicentes oferece presentes

A Comissão da Capela dos Vicentes ofereceu presentes de Natal aos catequizandos da aldeia. A oferta decorreu uma semana antes do dia de Natal, durante a Celebração da Palavra, presidida por Leonel Gameiro. Todos os anos, a Comissão da Capela presenteia as crianças e jovens com pequenas lembranças. Este ano não foi excepção e o presente foi bastante doce: uma caneca cheia de chocolates. No total, foram distribuídos mais de 50 presentes.

Festa dos Vicentes reuniu emigrantes

A festa em honra de N. Sra. da Assunção, celebrada a 15 de Agosto, reuniu, mais uma vez, um grande número de emigrantes dos Vicentes. A comunidade local recebe anualmente os filhos da terra com um convívio popular. A festa começou com a celebração da Eucaristia, presidida pelo nosso pároco, Pe. João Paulo, seguida de procissão. A presença dos emigrantes não passou despercebida ao sacerdote. O Pe. João Paulo registou, com agrado, a presença de “caras” novas. Sendo o dia da Assunção de Nossa Senhora ao Céu, o pároco lembrou o exemplo de Maria como a mais pura e fiel servidora de Deus. A festa continuou com o tradicional almoço-convívio. Este ano, foram servidos mais de 200 refeições. A tarde continuou com muita animação. O grupo de dança dos Vicentes inaugurou a tarde recreativa, seguida da actuação dos acordeonistas do Louriçal, do mágico Gil e do Rancho Folclórico do Alvorge. As receitas deste evento revertem a favor da manutenção da Capela dos Vicentes.

Festa de Sto. António nos Vicentes

O mês de Junho é sinónimo de festas em homenagem aos santos populares. O primeiro é Santo António. O Santo é venerado em Lisboa e um pouco por todo o país. Em Pombal, também lhe são prestadas as devidas homenagens, com a sardinha assada regada pelo vinho da região. A comunidade dos Vicentes faz parte da lista. Todos os anos, esta comunidade se reúne à volta da sua Capela, para festejar o dia de Santo António, que, não sendo o padroeiro, é venerado com muito amor e carinho. Esta tradição dura há muitos anos e deve-se ao facto de existir, no interior da Capela, uma imagem do santo. Devota do Santo, a comunidade encontra-se no sábado, antes do dia 13 de Junho, e prepara um arraial popular. Nesta altura, apanham-se as primeiras batatas novas, os pimentos e os pepinos. Como agradecimento pela dádiva de Deus, que habitualmente proporciona grandes quantidades destes alimentos, as pessoas levam-nos até às cozinheiras de serviço, para preparem um repasto colectivo. E, como combina bem um bacalhau assado, a comunidade oferece a quantidade suficiente para uma mega refeição. E assim surgiu o tradicional bacalhau com batatas a murro como jantar das festas de Santo António nos Vicentes. O bacalhau gosta de andar acompanhado e é servido com sardinha assada e febras grelhadas. O dia de festa encerra com um baile popular, que, neste ano, teve a particularidade de se improvisarem (em alguns momentos) as marchas de Santo António. Uma festa que reuniu centenas de pessoas e com futuro assegurado.

Final de catequese nos Vicentes

A Catequese no Centro Catequético dos Vicentes terminou, no domingo passado, com uma grande festa convívio e de partilha. Mas, antes do convívio, a Capela dos Vicentes recebeu as crianças e jovens do 2º ano, 4º ano, 5º ano e 9º ano. Cerca de 25 crianças e jovens celebraram as festas do Pai Nosso, da Palavra, da Aliança e do Compromisso, respectivamente. As festas decorreram durante a Celebração da Palavra, presidida por Leonel Gameiro. O celebrante explicou, durante a celebração, a importância de cada uma das festas que os catequizandos estavam a comemorar. No final da celebração, a Comissão da Capela ofereceu uma pequena lembrança aos catequistas e ao coro, pelo empenho e trabalho desenvolvido ao longo do ano. Depois de ouvirem a Palavra de Deus, a comunidade deslocou-se até Pombal, munidos com o equipamento necessário para confeccionar o almoço para cerca de duas centenas de pessoas. O almoço consistia em frango guisado que as pessoas levaram ainda cru. Cada família levou o suficiente para a sua refeição bem como os restantes ingredientes de acompanhamento. No local, com a colaboração de todos, os alimentos foram preparados e servidos, fazendo lembrar o “Milagre da multiplicação dos peixes e dos pães”. No final de mais um ano, a comunidade agradece a Deus pelos feitos conseguidos na formação catequética de crianças e jovens da aldeia.

Aclamação de Jesus inspirou Catequese nos Vicentes :: 20 de Março de 2016

A comunidade dos Vicentes participou numa lição de catequese comunitária. Sentados no exterior da Capela, catequizandos e alguns adultos ouviram a explicação pormenorizada sobre a aclamação de Jesus, na sua chegada a Jerusalém. A aclamação do Senhor é celebrada por toda a Igreja no Domingo de Ramos, o domingo que inaugura a Semana Santa dos cristãos católicos. Depois de ouvirem atentamente as explicações dos catequistas, as crianças, jovens e comunidade organizaram-se em procissão e seguiram para a Capela, onde participaram na celebração da Eucaristia, presidida pelo Pe. Salvador. A condenação e morte de Jesus Cristo centrou a homilia do sacerdote, que recordou a importância desta entrega de Jesus pelos nossos pecados.